5 dicas para montar um time ágil

Estamos cada vez mais inseridos na modernidade. Ao passar dos anos, não só a quantidade de informação aumenta, como também a velocidade que elas se propagam.

Dessa forma, o mundo corporativo também deve se adequar, é preciso compreender as nuances dessas novas demandas. Nesse sentido, montar um time ágil, pode ser uma das melhores formas de se manter preparado.

A fim de facilitar a vida dos nossos leitores, nós da K21 separamos 5 dicas de como montar um time ágil para o seu negócio. Confira!

1. Em que estágio está o meu time?

“Segundo o psicólogo Bruce Tuckman, existem 5 estágios que separam as relações num grupo”

Primeiramente é preciso se situar a respeito do ponto em que o seu time se encontra. Ao formar um grupo, cada pessoa irá trazer suas complexidades. Dessa forma, alguns atritos podem surgir.

O psicólogo Bruce Tuckman desenvolveu um modelo que separa as relações num grupo em 5 estágios:

  • Forming: este estágio se caracteriza pelo momento em que iniciamos as relações sociais; aqui o grupo possui uma falsa harmonia, aceita tudo mas sem saber como as coisas funcionam ao certo.
  • Storming: já neste momento, os indivíduos passam a procurar o seu próprio espaço no grupo, no entanto, as necessidades pessoais não são atendidas, como por exemplo a compreensão de qual é o espaço de cada um; é geralmente aqui que os conflitos surgem.
  • Norming: nesta fase, o indivíduo já compreende qual é o seu espaço e passa a auxiliar no bem comum do grupo; as lideranças e os objetivos já estão bem definidos para o grupo e os objetivos estão alinhados.
  • Performing: é neste período que as coisas começam a ficar mais naturais, com pouco conflito e conquistas de grandes resultados.
  • Adjourning: este ponto é o pior de todos, pois é quando o grupo acaba por qualquer motivo.

É importante observar que estas denominações apresentadas são apenas norteadoras, não representam uma verdade absoluta. Pois, como o assunto é relações entre pessoas, infinitas variáveis podem mudar o panorama.

2.  Como unir as competências em um time multidisciplinar?

. equipe multidisciplinar
. melhor fluxo de trabalho
. indivíduos que navegam entre diferentes áreas
. comunicação
. foco

Com o passar dos anos, as empresas passaram a ter cada vez mais setores específicos: financeiro, marketing, RH etc. Estas divisões foram feitas a fim de garantir o melhor desenvolvimento de cada área.

No entanto, a estrutura de segmentos específicos cria objetivos próprios de cada setor, que muitas vezes não se adequam à estratégia da organização. Isso pode inclusive atrapalhar o fluxo de trabalho da empresa.

Para montar um time ágil, é preciso investir numa equipe multidisciplinar, visto que elas podem reduzir essas questões negativas, privilegiando a comunicação, colaboração e o foco nas atividades e iniciativas. Afinal, teremos em apenas um time profissionais com uma diversidade de competências, habilidades e formas de atuar. Assim, o fluxo de trabalho possivelmente irá melhorar.

É válido ressaltar que, ao contrário da estrutura segmentada, um time multidisciplinar não exige profissionais especialistas em uma área. Além disso, os indivíduos que conseguem navegar entre diferentes áreas passam a ser mais valorizados.

3. Não adianta só ferramentas, crie uma atmosfera ágil

. foco na cultura da empresa
. atmosfera ágil
. aumento da produtividade dos funcionários

Pensar em como montar um time ágil vai além de apenas ferramentas e tecnologias para agilizar o trabalho dos funcionários. Deve-se pensar também na cultura da empresa como um todo, é preciso incentivar uma atmosfera de adaptação com melhoria contínua, em ciclos curtos e com entregas de valor.

E é papel dos líderes e gestores fornecerem esse cenário na empresa, estimulando experimentos, aprendizados, ambiente seguro para se desenvolverem e chegarem o quanto antes na etapa Performing, citada acima.

Dessa forma, é possível desenvolver as pessoas, estimular a troca de experiências e repensar tempo de duração de reuniões, assim como outras cerimônias que tomam tempo de produtividade dos colaboradores.

4. Defina métricas para cada etapa do funil ao montar um time ágil

. métricas de pirata
. compreensão sobre pontos fortes e fracos da equipe

Para montar um time ágil, é preciso que os gestores tenham atenção voltada a alguns itens essenciais do processo. Por exemplo, definir métricas para cada etapa do funil: aquisição > ativação > retenção > reputação > receita.

Esta estrutura (AARRR) é conhecida também como métricas de pirata. Inventada pelo Dave McClure, ela nos auxilia a compreender quais são os pontos fortes e os pontos fracos da nossa equipe. Assim, podemos compreender onde investir energia para conquistar um time mais ágil.

Nesse sentido, podemos entender o funil da seguinte maneira:

  • Aquisição: nesse ponto, as métricas devem ser voltadas para adquirir profissionais qualificados para as funções.; deve-se buscar aqueles que se apresentam como voláteis e eficientes.
  • Ativação: já nesse segundo momento, é necessário compreender as necessidades desses funcionários que entraram para o time, ou seja, remover funções desnecessárias e apenas focar nas tarefas em que o colaborador será útil.
  • Retenção: aqui, a empresa deve tentar manter aqueles funcionários que mais se adaptaram à forma multidisciplinar para ter mais sucesso na agilidade da equipe.
  • Reputação: a empresa pode investir em pesquisas de satisfação para compreender como os funcionários compreendem a empresa; logo, é preciso garantir que eles se sintam satisfeitos para poderem ser ágeis.
  • Receita: além da estrutura multidisciplinar ser benéfica para o fluxo da empresa, é uma forma de economizar tempo e dinheiro.

Confira como definir boas métricas para tomar decisões mais assertivas para a sua equipe.

5. Crie um ambiente seguro para seu time

. segurança psicológica
. transparência
. reconhecimento
. gratidão
. sentimento

Ao montar um time ágil, é preciso compreender que os funcionários são profissionais do conhecimento, e não máquinas da era industrial. Ou seja, cada indivíduo da equipe precisa ter segurança psicológica no seu trabalho.

Pois um ambiente inseguro pode frear a agilidade e motivação da equipe, além de possivelmente acarretar vazão de funcionários, levando assim a impactos negativos para a empresa.

Em 2016, o Google compartilhou um estudo apontando os fatores que levam ao sucesso da sua equipe. O fator apontado como o mais importante foi a segurança psicológica. Segundo a empresa, os colaboradores da Google se sentem seguros para arriscar e propor ideias inovadoras, mesmo que sejam diferentes das “normais”.

Ou seja, as empresas precisam determinar tempo e energia a fim de diminuir as inseguranças no ambiente de trabalho. De forma contrária, terão que demandar diversas ações para remediar as consequências.

Algumas práticas podem ser utilizadas pelos gestores para auxiliar na construção de um ambiente seguro:

  • Transparência – e houver alguma ação ou informação que irá impactar toda a equipe, isso precisa ser informado a todos. De forma contrária, qualquer informação imprecisa poderá causar má interpretação nos funcionários;
  • Reconhecimento – é preciso incentivar espaços que permitam trocas de elogio e reconhecimento sobre o trabalho;
  • Gratidão – este ato tem o poder de gerar confiança nas pessoas, portanto, separe um tempo para que todos possam agradecer a algo;
  • Sentimento – compreender como a sua equipe se sente também ajuda a construir um ambiente seguro, por isso, entenda quais problemas estão enfrentando e como sua empresa pode auxiliar.

Quer compreender melhor como tornar sua equipe mais ágil? Aprenda a definir as métricas mais apropriadas para o desenvolvimento do seu time e dos produtos no treinamento de Métricas Ágeis.

Autor(es)

K21

Transformar pessoas e organizações ao redor do mundo é o que nos move. Mais do que ferramentas e métodos, promovemos uma nova cultura, onde negócios e pessoas entregam valor continuamente, experimentando, aprendendo e melhorando diariamente.

Comentários

Deixar um comentário