Compartilhe

Como o Management 3.0 pode ajudar no trabalho remoto?

22/07/21 - 5 minutos de leitura

O trabalho remoto se tornou uma realidade para inúmeros profissionais no ano de 2020. Devido à pandemia do COVID-19 e à necessidade de distanciamento social, diversas organizações transferiram seus times de colaboradores para o home office.

No entanto, como esperado, esse processo de adaptação a uma nova modalidade de trabalho não é tão simples. Ainda mais se a empresa não conta com uma gestão eficaz e com um time preparado para encarar mudanças.

Para te ajudar nesse contexto de incertezas, temos o conceito de Management 3.0. Uma modalidade de gestão que tem tudo a ver com a Agilidade.

Ouça agora esse conteúdo!

Conheça esse tipo de gerenciamento e como ele pode ser uma solução para os problemas do trabalho remoto. 

O que é Management 3.0?

Trata-se de um conjunto de conhecimentos e práticas de gestão que prioriza os colaboradores além de suas competências técnicas. É um tipo de coordenação que busca empoderar seus profissionais, incentivando o trabalho em equipe e um ambiente dinâmico, no qual as responsabilidades não se concentram na mão de um “chefe”.

O MGT 3.0. enxerga a organização como um organismo vivo e não apenas como se os colaboradores fossem “máquinas” de produção. Ao invés de pensar em níveis hierárquicos, o time, incluindo o gestor ou líder, são entendidos como uma rede.

O Management 3.0 surge em um contexto no qual temos diversas teorias sobre a complexidade e a adaptação sendo desenvolvidas. Então, por se tratar de uma gestão preparada para lidar com organizações complexas e com mudanças, o MGT3.0 é um modelo útil para lidar com o trabalho remoto.

O que mudou no home office?

A verdade é que muita coisa mudou com o trabalho remoto. Não tem como tentar manter tudo como era antes pois o home office alterou o ambiente de trabalho, a relação entre os colaboradores, canais de comunicação do time, ferramentas utilizadas para a produção, entre diversos outros fatores.

Mudar o ambiente de trabalho não significa apenas que suas ferramentas foram realocadas do escritório para o seu domicílio. Por exemplo, em casa você pode não ter um espaço separado e adequado para as tarefas ligadas à empresa, o que dificulta a separação entre a vida privada, os momentos de lazer e o expediente em si.

Além disso, aqueles colaboradores que não moram sozinhos precisam, muitas vezes, dividir a atenção entre as tarefas do trabalho remoto e o(a) companheiro(a), filho, pet, etc.

Os desafios que o time enfrenta no trabalho remoto

No nível time, também surgem diversos conflitos relacionados às adaptações necessárias para o trabalho remoto. Afinal, como transformar uma equipe presencial em um time distribuído? São desde dificuldades individuais de como cada um lida com mudanças, até problemas ligados à tecnologia, comunicação interna e gestão.

No presencial, os problemas eram resolvidos facilmente pela equipe a partir de reuniões rápidas de alinhamento, ou até mesmo por meio de conversas descontraídas que inspiravam insights.

Essas dinâmicas são prejudicadas no home office caso a empresa não tenha um canal de comunicação adequado ou não saiba como lidar com reuniões remotas eficazes.

Além disso, há dificuldades que estão além das metas profissionais, como o clima de incerteza, a preocupação com a saúde e a dificuldade de se desligar do trabalho. Esses fatores acabam por afetar todo o time.

Como o Management 3.0 pode ajudar a gestão

Como você viu até aqui, são muitos os conflitos enfrentados pelos times e profissionais que migraram para o trabalho remoto durante a pandemia. E, muitas vezes, a responsabilidade de reestruturar a equipe e pensar em soluções rápidas cai nas mãos do gestor. Isso faz com que a gestão tenha inúmeros desafios para superar em tempos de home office.

Mas, para te ajudar a pensar em resoluções, é possível usar as 6 visões do Management 3.0. Veja quais são e como esse modelo de gerenciamento pode auxiliar o time no trabalho remoto:

Mergie - Como o Management 3.0

1. Energizar pessoas

O contexto caótico e instável que a pandemia gerou, além das necessidades de encarar mudanças, faz com que muitos profissionais se sintam desmotivados. Então, a primeira estratégia é energizar as pessoas do time, engajando-as em dinâmicas pensadas para a modalidade de trabalho remoto. 

Afinal, no MGT 3.0 as pessoas são entendidas como a parte mais importante da organização. É importante pensar em tarefas que incentivem a criatividade. Mas, fique atento para não se tornarem apenas uma pressão para bater metas. Colaboradores pressionados se sentem ainda menos motivados para produzir. 

Pessoas satisfeitas com o trabalho se tornam pessoas comprometidas e engajadas. Pessoas engajadas e com propósito claro guiam a si próprias e necessitam menos de coordenação, ou seja, menos reuniões durante o dia a dia.

2. Empoderar times

Uma das mudanças do Management 3.0 em relação aos anteriores (1.0 e 2.0) é a questão de empoderar times. Na prática, significa que as equipes são auto-organizáveis e contam com a confiança da gestão.

Em tempos de trabalho remoto, essa tática é importante para que todas as responsabilidades não se concentrem apenas na figura do gestor. Com um time empoderado, todos trabalham para encontrar soluções coletivamente, participando ativamente nas tomadas de decisões, e das distribuições de tarefas. Times empoderados são excelentes formas de criar foco em objetivos, de forma que estes sejam construídos com qualidade e resultado.

3. Alinhar restrições

Porém, apesar dos times serem auto-organizáveis, é importante estabelecer limites para que não fique disperso, desorganizado ou até confuso. Ainda mais no trabalho remoto, com o time espalhado, é preciso alinhar as metas, tendo propósitos claros e objetivos bem definidos.

Definir quais são os limites dos times também ajudam a se sentirem seguros, sabendo até onde podem ir sem causar danos ao produto ou à empresa. Restrições são um meio de orientação ao passo que também criam confiança entres os indivíduos permitindo que este se desafiem e inovem.

4. Desenvolver competências

Para que a equipe e os colaboradores se tornem mais independentes, é necessário desenvolver competências. No caso do Home Office, a dica é investir em treinamentos sobre ferramentas para o trabalho remoto. Assim, os gestores conseguem solucionar problemas como a dificuldade com a tecnologia.

Além das competências técnicas, é legal investir no desenvolvimento das chamadas soft skills. Com essas habilidades otimizadas, o seu time tem uma melhor comunicação, além da empatia com o próximo.

O papel da gestão, mais do que nunca é fomentar esses conhecimentos, aportando por meio de formações formais ou informais, como pareamento, ou "inside learning" com outros colegas da empresa, sejam estes mais seniors ou de outros departamentos, ajudando a compreender como a empresa funciona, e como resolver questões do dia a dia.

5. Crescer estruturas

E não adianta deixar tudo na mão dos colaboradores se você não tem uma estrutura que propicie e incentive a boa comunicação. Além da valorização das pessoas, é importante considerar a organização enquanto um organismo vivo e complexo.

Estas estruturas devem fomentar colaboração, ao passo que permitem que times tenham objetivos claros e, dentro do possível, diminua a quantidade de dependências com outros times ou departamentos da instituição. 

Fazer uma re-org durante uma pandemia pode ser muito desafiador e causar ainda mais medo às pessoas. Porém uma reorg que ajude-os a serem mais produtivos, mais focados e com menos reunião certamente é algo muito valorizado nos dias de hoje.

6. Melhorar tudo

A ideia de melhoria contínua, um dos pilares da Agilidade, também é uma das principais visões do Management 3.0. Esse princípio te ajuda a evitar falhas e a aprender com os erros. Então, se você perceber, por exemplo, que um canal de comunicação não tem funcionado, procure adaptar para outro e assim por diante.

Se as pessoas estão com medo ou dificuldade de inovar, repense as restrições, crie lugares seguros para que as pessoas possam apresentar e desenvolver suas ideias.

Então, como o trabalho remoto requer adaptação, é importante investir em um método ágil de gestão como o Management 3.0. Dessa forma, fica muito mais fácil adaptar o time e incentivar uma espiral positiva de alta performance com a ideia de melhoria contínua em mente.

Tudo isso considerando o que é mais importante para a organização: as pessoas!

Para saber mais sobre esse assunto, aprenda sobre liderança remota com trainers experientes no treinamento oficial de Management 3.0 da K21.

Compartilhe

Escrito por

K21

Evolução Contínua de Pessoas e Organizações


Transformar pessoas e organizações ao redor do mundo é o que nos move. Mais do que ferramentas e métodos, promovemos uma nova cultura, onde negócios e pessoas entregam valor continuamente, experimentando, aprendendo e melhorando diariamente.
Esta postagem se encontra sob a licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

    Receba mais conteúdos K21

    Deixe seu nome e email que nós te deixamos por dentro de tudo que rola por aqui.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.