Compartilhe

Vamos falar sobre a cultura da experimentação?

10/11/20 - 4 minutos de leitura

Inovação não significa, necessariamente, somente implementar grandes mudanças tecnológicas dentro da sua organização. Implica também em mudanças culturais presentes no dia a dia da companhia.

Nesse sentido, a inovação diz respeito às mudanças de hábitos e ao modo de pensar dos gestores e de toda a equipe. E, principalmente, se refere a como as decisões são tomadas.

Por isso, a seguir, falo um pouco sobre o porquê de adotar a cultura da experimentação na sua companhia.

Essa cultura pode ser uma importante ferramenta para tornar sua empresa mais inovadoramodernaágil e, claro, mais competitiva no mercado.

No decorrer desse artigo, listo alguns tópicos que acredito serem importantes a respeito da cultura da experimentação.

Estão incluídos seus benefícios e a melhor forma de aplicá-la em seu dia a dia, dentro da sua empresa. E, por que não, na sua vida?! 😉

O que é cultura da experimentação

A cultura da experimentação se baseia, primordialmente, em validar hipóteses, com experimentos curtos e mensuráveis.

O objetivo é que eles nos ajudem a aumentar o nível de confiança, dando mais segurança nas tomadas de decisões.

Diferentemente do que muitas empresas conservadoras fazem, onde somente pessoas em cargos considerados mais importantes podem dar ideias e promover mudanças, isso não acontece na cultura da experimentação.

Todos podem sugerir novas ideias e propor novas soluções a serem testadas. Para isso, os experimentos são feitos por meio de hipóteses levantadas sobre o que queremos validar.

No entanto, para que a cultura da experimentação seja implementada em uma empresa de forma eficaz e traga resultados positivos, é preciso que os líderes da organização percam a característica autoritária de liderança.

Se a empresa possui uma cultura conservadora, com processos intocáveis, pouca abertura para mudanças e gestores pouco flexíveis, será impossível a implementação da cultura de experimentação (e a consequente inovação).

Portanto, quem deseja inovar e vivenciar uma cultura de experimentos precisa arriscar e se permitir conhecer novas possibilidades.

É errando que se aprende…

Esse velho e conhecido ditado é um dos principais guias para aqueles que têm medo de apostar em novas ideias.

Muitas vezes, para colocar em prática novas ideias e descobrir uma nova estratégia de sucesso, é preciso tentar. Ao fazer isso, muitas tentativas podem falhar até que você consiga alcançar o resultado esperado.

A cultura da experimentação proporciona tentativas controladas. E, caso essa tentativa dê errado, você pode tentar novamente. Poderá fazer de outro jeito ou, até mesmo, testar novas hipóteses.

E é exatamente essa flexibilidade que faz com que a cultura da experimentação se destaque. Pois ela valoriza a mudança e a transformação, mesmo que seja pelo aprendizado decorrente de possíveis erros cometidos.

Por isso, não tenha medo de tentar. Se der errado, analise o que contribuiu para a falha, para alterar na próxima tentativa. Depois, tente novamente!

As vantagens da cultura da experimentação

Além da vantagem da força de inovação na empresa, proporcionada dentro da cultura da experimentação, existem ainda outros benefícios acarretados por esse modelo de trabalho.

Como exemplo, a cultura da experimentação possibilita testar ideias sem colocar em risco o seu produto. Pois se trata de um experimento de baixo custo em um ambiente controlado.

Outra vantagem da cultura da experimentação é estar sempre acompanhando as novas tendências do mercado e as mudanças no comportamento do consumidor, fator fundamental para o crescimento do negócio.

Além disso, oferecer produtos e serviços exclusivos para os clientes é uma das principais formas de se diferenciar no mercado. Para isso, a cultura da experimentação é perfeita!

Por fim, a cultura da experimentação proporciona diretamente a evolução do produto, colocando em produção features previamente validadas. Aquelas que, de fato, fazem sentido para o negócio e para o cliente.

Como implementar a cultura da experimentação

Depois de compreender o que é a cultura da experimentação e conhecer seus benefícios, confira brevemente os passos necessários para a implementação desse modo de trabalho.

  1. primeiro passo é a grande base para a adoção da cultura da experimentação, pois consiste em considerar as ideias de todos os colaboradores da organização. Assim, é possível firmar e dar o primeiro passo dentro da nova cultura. Para isso, é preciso que toda a equipe saiba do processo de mudança para se conscientizar sobre a necessidade e participação efetiva no novo processo.
  2. segundo passo é o desenvolvimento de hipóteses a partir de ideias, oportunidades e insights. É necessário que sejam feitas suposições para que o experimento possa demonstrar se estão certas ou não. Com isso, o processo de mudança é impulsionado e as primeiras tomadas de decisões podem ser baseadas em fatos e dados.
  3. terceiro passo é a observação do teste sendo aplicado. É importante que o time esteja a par das ideias e das hipóteses, sempre observando e coletando as parciais. Assim, não se perde o controle da experimentação, além de ser possível extrair aprendizados a todo momento.
  4. quarto passo é a mensuração dos resultados, na qual você poderá identificar se a hipótese levantada estava correta ou não.
  5. Por fim, o último passo é a discussão sobre o aprendizado que o experimento proporcionou. É possível analisar se as mudanças devem ser feitas de acordo com o resultado do experimento realizado ou não, partindo para testar novas hipóteses.

Conclusão

A cultura da experimentação é uma ótima ferramenta para impulsionar mudança, inovação e o crescimento para o seu negócio! E que tal implementar a cultura da experimentação junto com a mensuração da performance do seu time?

Assista ao vídeo abaixo para entender como os times podem evoluir com métricas ágeis!

Achou interessante e gostaria de bater um papo com um de nossos experts?

Entre em contato com o nosso time ou deixe um comentário com a sua opinião!

 

Compartilhe

Escrito por

Bruno Guazina


Digital Product Expert com mais de 10 anos de experiência atuando em empresas dos mais variados segmentos, contribuindo na adoção da cultura da experimentação e na construção de produtos digitais, além de ajudar startups de todo o mundo transformarem ideias em produtos inovadores.
Esta postagem se encontra sob a licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

    Receba mais conteúdos K21

    Deixe seu nome e email que nós te deixamos por dentro de tudo que rola por aqui.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.